Apresentação

Passados quase três meses da suspensão, por tempo indeterminado, das aulas e atividades acadêmicas e administrativas da Universidade Federal da Bahia (UFBA), ainda não é possível prever quando será possível a realização do Enecult no formato que conhecemos. Nesse sentido, considerando o cenário de incertezas do momento atual, mas também avaliando o importante papel do Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (ENECULT), realizado pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), decidimos  realizar o XVI ENECULT online, entre os dias 15 e 18 de setembro de 2020. A nosso ver, essa é a forma possível de nos encontrarmos neste momento de uma conjuntura mundial tão singular.

Vivemos uma situação excepcional no país. Ela decorre não só da gravidade da pandemia irresponsavelmente tratada no Brasil, mas também da sobreposição de uma grave crise política, com investimentos contra o que sobrou da institucionalidade democrática e elege como inimigos a cultura, as artes, as ciências, a educação, a universidade, a civilidade, os trabalhadores, o funcionalismo público e a democracia.

Esse momento demanda de nós uma série de ajustes e reflexões, mas não pode nos paralisar. Dentre os ajustes que acreditamos necessários, está a adequação da programação do ENECULT às circunstâncias de sua realização. A nosso ver, não seria justo com nossos interlocutores e também com a nossa equipe tratarmos como se estivéssemos vivendo um período comum e normal. Para se ter uma ideia do tamanho do Encontro, na edição anterior (2019) foram mais de 1500 inscritos, 753 trabalhos submetidos e 475 artigos aprovados. Para isso contamos com 38 coordenadores de grupos de trabalho e cerca de 329 pareceristas – todos professores doutores de vários estados do país e, em alguns casos, avaliadores internacionais.

Por se tratar de um momento de tantas impossibilidades, mas que descortina para um novo modo de olhar o mundo e nossa forma de estar junto, ficou definido que essa edição especial não contará com algumas atividades que faziam parte do Encontro, como é o caso das apresentações de trabalhos inscritos em nossos 20 Grupos de Trabalho (GTs). 

Neste momento em que as já imensas desigualdades de condições de trabalho e pesquisa se acentuam, não podemos, enquanto um Centro que acolhe a diversidade de pesquisas e interesses, negligenciar os desafios impostos pelo isolamento social. Dentre eles, destacamos a dificuldade das pessoas responsáveis pelos cuidados de crianças, idosos e pessoas com necessidades especiais de seguirem produzindo e desempenhando suas funções laborais conforme o habitual.

Dito isso, esperamos contar com a compreensão de todas as pessoas, inclusive e especialmente daquelas que se dedicaram a inscrever seus trabalhos nessa décima sexta edição. Esperamos que em 2021 já existam condições de encontros presenciais para que sejam retomadas as possibilidades de debate num cenário mais justo.

Enquanto isso, estamos preparando a programação desta edição e esperamos contar com a presença e contribuição de todas e todos vocês que fazem o ENECULT existir e se manter por todos esses  anos.

Já passaram pelo ENECULT autores e pesquisadores de referência mundial como: Mia Couto (Moçambique), Antonio Lafuente (Espanha), Armand Mattelart (França), Armando Silva (Colômbia), Daniel Gonzalez (Argentina), Daniel Mato (Venezuela), Durval Muniz de Alburquerque Jr. (Brasil), Eduardo Nivón Bolán (México), George Yúdice (EUA), Gonzalo Carámbula (Uruguai), Manuel Garretón (Chile), José Miguel Wisnik (Brasil), Massimo Canevaci (Itália) Muniz Sodré (Brasil), Natália Ramos (Portugal), Octávio Getino (Argentina), Renato Ortiz (Brasil), Rocío Ortega (Paraguai), Rubens Bayardo (Argentina), Sérgio Amadeu (Brasil), Xan Bouzada Fernández (Espanha), Silvia Vetrale (Uruguai) e Victor Vich (Peru).

 

 

XVI ENECULT é realizado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), por meio do Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Pós-Cultura) do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC) e Faculdade de Comunicação (Facom).